COMO EVITAR A AMÔNIA NA ÁGUA DO LAGO?

Parâmetros da água fora do ideal causam estresse aos peixes, pois interferem diretamente no seu equilíbrio fisiológico. Com a má qualidade da água do lago, o peixe estressado terá uma queda de imunidade em virtude das alterações hormonais que facilita a ação de diversos agentes patogênicos.

O principal composto nitrogenado a proliferação das algas, é a Amônia. Esta molécula é formada pelo próprio peixe, sendo o produto final do metabolismo que é excretado pela urina, acumulando grandes concentrações de matéria orgânica na água. No entanto, a Amônia é tóxica para os peixes e acima da concentração de 0,2 mg/l sua toxidade já é considerada crônica.

Desta forma, é muito importante sua eliminação da água e um constante monitoramento da sua concentração no lago. Não deixe de fazer a medição periódica da Amônia, pelo menos de duas vez ao mês, pois evitará diversos problemas tanto para lago, como para os peixes. Para prevenir os problemas causados pela Amônia, veja essas dicas:

  • Devemos limpar ou trocar o refil do filtro mecânico (perlon, esponja, escovas, etc.)
  • Sempre fornecer ração de qualidade para os peixes e verificar se não há sobras de alimento no tanque.
  • Manter sempre a quantidade de peixes suficiente para o tanque e evitar super população no lago.
  • Verificar se o filtro biológico está com excesso de sujeira, se estiver, limpe-o com a mesma água do lago e troque cerca de 30% da água do filtro.
  • Para combater e ajudar neste controle, pode-se usar a Zeólita, uma argila natural que absorve Amônia e o Gás Sulfídrico.
  • Quando o pH está com grandes níveis alcalinos, pode estar com a presença de Amônia.
  • Baixar um pouco o pH, usando água renovada e ligeiramente acidificada, que também é uma alternativa, evitando que o Amônio (NH4) se torne tóxico.
  • Se ainda persistir a Amônia no lago, pode ser considerado um indicador de deficiência na filtragem, talvez seja o filtro incorreto para o tanque, com mídias biológicas insuficientes ou de má qualidade.
  • Em casos extremos faça uma troca parcial da água (30 a 50% do volume total), renovando com água (sem cloro) e assim estabilizando todo sistema.

Para agregar mais conhecimento sobre os segredos de um lago ornamental você pode buscar outras informações exclusivas no curso Mestre dos Lagos, que disponibiliza ainda 11 bônus adicionais no formato livro digital (e-book), incluindo o recebimento do certificado de participação.

Não fique de fora, aproveite!!!

www.mestredoslagos.com.br